segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Confissões da madrugada #2

Yo minna!Semana de testes, vou postar logo hoje enquanto não esqueço.


 Eu sempre assisti filmes da Disney, e sempre gostei, os atuais tentam cada vez mais combinar com o público atual, com seus personagens irreverentes, mas confesso que ainda assisto porque quero ter uma mente vasta de história como inspiração para escrever as minhas. No sábado passado eu estava assistindo Valente com meu pai, que acabou dormindo no meio do filme, como sempre, acho isso engraçado nele, por que ele não ta nem ai, e depois fala do filme como se tivesse assistido até o final.
 Eu gostei da história, é interessante, e me recorda pessoas que conheço. A mãe da princesa sempre mandando ela fazer algo e se comportar de um jeito que ela não gosta muito, parece um pouco comigo e minha mãe, ela vive falando: "Use aquele vestido", "Cadê a pulseira, o óculos, o relógio?". O pai da princesa sempre deixava que sua filha se divertisse como ela queria o que me ironicamente me lembra meu pai também, sempre que quero fazer algo peço a ele porque ele sempre está disposto a aceitar. Eu vou ao Anipólitan graças a ele. Minha mãe acha que anime é coisa do demônio. 
 Tem algo na princesa que parece comigo também, nunca será sua coragem porque eu sou muito medrosa. Mas ela acredita em coisas pequenas e quase insignificantes, quem iria atrás de luzinhas azuis? Minhas amigas, com certeza, achariam que eu estava drogada ou algo do tipo, mas eu ia. Enquanto ela quer se divertir, aproveitar suas aventuras, sua mãe a obriga a escolher um noivo pra ela, essa parte não combina muito com minha mãe, mas o convívio com outras pessoas sim. Aquelas meninas do colégio me olhando torto, dando risadinhas discretas(que na verdade não são nada discretas), só porque eu não sou tão fresca quanto elas. Admito que nunca tive medo de barata( só quando ela está voando), nem ligo pra minha unha também, um dia nós vamos morrer mesmo, não vai ficar nada pra contar história. Essas e várias ações fazem com que me intitulem de estranha. E ai que vem o papo do príncipe, e aquelas besteiras de castelo, e sim, admito que quando pequena eu sonhei em morar em um castelo ter vários pôneis e esperar um príncipe no cavalo branco, mas agora, nada feito. Eu me acho muito nova pra isso ainda, mas isso não interfere em eu pensar sobre isso, eu só acho que eu não me encaixo no padrão de namoro dos jovens, porque hoje as pessoas reparam em tudo, dinheiro, beleza, e em último lugar a pessoa com ela é. Eu acho que se alguém gostasse  de mim, ele falaria e gostaria do jeito que eu sou, porque se fosse do jeito que alguns fazem, irei negar um milhão de vezes. E minha personalidade não é muito agradável, sou chata, me irrito fácil, faço zoera até com a minha mãe, enfim, eu não sou aquelas meninas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário