sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Confissões da madrugada #11

Yo minna! Felizes são os que estão de férias, porque a coisa ficou séria.

Sou nova, sou, e como, no meu grupo de amigas sou a mais nova, o que não é muito legal porque fico como a quem todo mundo tem que tomar conta. E há de convir que eu sou muito infantil, mas é proposital, porque eu convivo com adultos desde muito pequena e sei me iterar com jovens, crianças e adultos(só falta ter coragem de falar, sabe), sempre fui um pouco solitária, filha única, mais primos que primas e nem sempre elas queriam brincar e eu não passava o dia inteiro com meus colegas, que a partir dos meus 7 anos comecei a odiar todos eles. Pra mim qualquer oi é lisonjeante, porque não costumo socializar muito, sempre fui na minha, no intervalo do colégio eu ficava na escada olhando pro nada e lembrando do assunto, só agora no outro colégio eu estou mais "maluca", falo mais com as pessoas, mas ainda continuo a odiar algumas.
 É uma experiência impressionante ser adolescente pra mim, é uma pena que é passageiro e pouco demorado. Existe várias coisas passando na cabeça da gente passando ao mesmo tempo, futuro(raramente na minha, porque eu só penso maluquice), amigos, família(brigo com minha mãe todo dia, mas ela me ama *-*), colégio(matemática ¬ ¬'), música, história dos livros e filmes que vemos(pelo menos eu sim) e várias outras coisas. Às vezes eu paro pra pensar, sempre ligam jovens a namoro, minha mãe perdeu o BV mais nova que eu, algumas amigas minhas já tem seus pretendentes, e meus primos me dizem que eu vivo muito em casa, isso me faz parar, olhar para o espelho, fazer uma cara de quem não entendeu nada, rir de mim mesma e depois pensar em outras coisas ou fazer uma piada infame aos meninos, vamos supor que chamo da era Félix, mas não tenho nada contra eles. Sempre convivi com meus primos, sempre fui dividida, eu brincava de bola, mas brincava de boneca, tinha carro, mas também tinha brinquedo de cozinha, então é meio difícil falar sobre namoro com pessoas que eu constantemente brincava e considerava melhores amigos. Tenho muitos amigos meninos do mesmo jeito que tenho amigas meninas, e ambos me tratam igualmente, me xingam, ou são atenciosos, outros mais afastados,outros muito próximos, então eu não tenho essa ideia de separação, ou pelo menos finjo não ter.
 Apesar de ser um pouco fria, ignorante, insuportável, chata, alguns meninos até mostram interesse(não que eu ligue u.u), mas é pouco difícil de eu perceber, porque estou habituada a eles me tratarem bem porque é a "parceira", a colega, ou eu invento tudo na minha cabeça e transformo isso em alguma coisa muto grande(mas só fica na cabeça mesmo).
 Eu sei que tenho muita vida pela frente pra ficar e preocupado com isso, então sempre adio, adio, adio adio... E se quando eu tiver 40 anos eu continuar adiando isso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário